12 maio, 2009

emoções bárbaras - agora sim!

há dois anos e meio, eu disse que cinco anos antes havia procurado *uma historinha do cebolinha que sempre achei muito interessante, legal mesmo*, e não havia encontrado.
quando finalmente encontrei, em vez de salvar as imagens, apenas linkei, mas o link saiu do ar e eu perdi de novo a historinha.

pois então, agora que eu achei de novo aqui e aqui (procure dentro das páginas; não tem permalink e eu não sei fazer link relativo), resolvi fazer a coisa completa: salvei tudo e publico aqui.

ufa!
aproveite! (clique para ampliar. dá trabalho mas pale a vena.)

9 comentários:

  1. A internet tem essa magia, de fazer com que a gente encontra/ reencontre livros, músicas, pessoas... Essa hisrória faz parte da minha vida e, se não me engano, ganhou até prêmios no exterior. Um abraço!

    ResponderExcluir
  2. Obrigado por compartilhar uma história que fez parte da minha infância, que sempre quis reler. Sonho com ela as vezes. Sério mesmo que ganhou prêmios? De fato ela é bem mais profunda que a média de histórias da Turma. Muito obrigado mesmo!

    ResponderExcluir
  3. tiag0812:36 PM

    Eu sou portugues e encontrei aqui esta historia que li ha muitos anos atras, e mesmo uma historia profunda. Parabens a quem a colocou aqui.

    ResponderExcluir
  4. Anônimo8:54 PM

    o que eu posso dizer essa historia faz parte da minha infancia nossa quase eu choro so de lembra dos bons tempos,obrigado por te colocado essa emoção barbara de novo no meu coração um abração!ass:rodrigo

    ResponderExcluir
  5. Formidável, há tempos procuro essa história..........

    (suspiro)

    parte de nossas vidas


    Grande abraço!!!

    ResponderExcluir
  6. Sentimos saudades fortes pelo simples fato de termos crescido e hoje quando olhamos em volta vemos que estamos sozinhos...pois só nos acompanham as lembranças boas. O cheiro do pai chegando da fabrica, o chiar da panela de pressão enquanto a mãe fazia janta, aquele cachorro que cresceu do seu lado e ja se foi e estas historinhas maravilhosas que liamos a tarde ou a noitinha. saudades...forte abraço linda.

    ResponderExcluir
  7. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  8. Eu quando criança li essa história e achei bizarra. Mas me marcou, tanto que hoje estou aqui comentando. Valeu mesmo por disponibilizar, até hoje ela vai e volta em minhas reflexões. Após todos esses anos segui carreira acadêmica, fiz filosofia, mestrado e doutorado e essa história permanece. E outro dia tive a oportunidade de encontrar o Maurício num shopping. Caramba, o cara é fora de série! Obrigado!

    ResponderExcluir
  9. Anônimo1:54 PM

    No tempo em que existiam boas histórias...eu tinha esse gibi original...saudades...

    ResponderExcluir